A INESQUECÍVEL FOZ DO IGUAÇU - AS ATRAÇÕES NO LADO BRASILEIRO

Há doze anos, visitei um dos lugares mais espetaculares do planeta, que é o Parque Nacional do Iguaçu, no Paraná. Visão inesquecível. Recentemente revivi essa emoção por uma razão muito especial: presentear minha mãe nos seus 80 anos. Fiquei muito tempo pensando no que eu poderia lhe dar de presente. Queria algo especial e que fosse para ela inesquecível. Daí me veio à mente a imagem das cataratas de Foz do Iguaçu e eu disse para mim mesma: "É isso!" Acho que acertei em cheio no presente, pois quando ela pôs os olhos nas cataratas, ela disse baixinho, como se estivesse falando para si mesma: "Olha que coisa mais linda!"

Não tem como não acertar com um presente desses. Afinal, as Cataratas do Iguaçu são simplesmente um Patrimônio Natural da Humanidade e uma das Sete Maravilhas da Natureza. São 275 quedas d'águaO Brasil tem paisagens incríveis e as Cataratas do Iguaçu fazem a festa de qualquer aniversariante. Lá ele ficará batendo palmas. #ficaadica  

É claro que, para uma pessoa idosa, a trilha do Parque Nacional do Iguaçu pode ser um empecilho. Por isso, fiz questão de contratar um serviço de turismo privativo para que minha mãe tivesse todo conforto e fizesse o mínimo de esforço físico. A agência contratada foi a IGT Iguassu Globo Tours, a qual indico sem pestanejar. Então, como fomos com um guia particular, cujo carro de turismo tinha permissão para entrar no parque, ele nos deixou num ponto bem perto do elevador do mirante. Minha mãe não precisou encarar escadas, somente descer algumas rampas (acessíveis para cadeiras de rodas) para ter acesso ao elevador panorâmico. Ela só ficou com aquela vista do mirante ao lado do elevador, mas é a melhor de todas. Ou seja, ela não fez nenhuma trilha. Nem caminhou pela passarela porque estava com uma multidão. Mas o que ela viu ali foi o suficiente para achar tudo lindo.

Por falar na passarela do Parque Nacional do Iguaçu, ela sempre estará cheia: ou de gente ou d'água. De gente, porque é de lá que se tem uma das vistas mais bonitas das quedas d'água. Mas, quando está cheia d'água, a passarela pode até ficar interditada. Depende da época e do volume d'água formado pelas cachoeiras. Nos meses que estive em Foz, janeiro e final de abril, a passarela estava seca e as cachoeiras não estavam molhando as pessoas. Mas meu irmão foi em julho e água estava entrando na passarela. Porém, com muito volume ou com volume normal d'água, as Cataratas do Iguaçu podem ser visitadas o ano inteiro. Apenas evite os feriadões. Fui num desses na minha segunda viagem e peguei os dois parques nacionais repletos de visitantes, principalmente o argentino. Fiquei até surpresa de ver tanta gente nas filas, comparando com o que vi há doze anos. Mas a razão da lotação não foi só o feriadão não. O meu guia me explicou que a cada ano os parques vêm batendo recorde de visitação.       

Quantos dias devemos ficar em Foz do Iguaçu?

Se o desejo for "apenas" contemplar as Cataratas de Foz, é necessário ficar dois dias inteiros, um dia para cada parque nacional (Brasil e Argentina). Mas, numa primeira vez em Foz do Iguaçu, o melhor é ficar 3 dias inteiros, dedicando o terceiro para Ciudad del Este, no Paraguai. Não pense só nas compras no Paraguai; considere também uma visita ao Museu Planet 3D. Sim, pense na possibilidade de voltar a Foz do Iguaçu. Como minha mãe disse, aquela paisagem é muito linda para se ver somente uma vez na vida. 

O que fazer em dois dias em Foz do Iguaçu?

No primeiro dia, se começar cedo, dá tempo de fazer o Parque Nacional Foz do Iguaçu, Macuco Safari, Parque das Aves e mais alguma atração, por exemplo, o Templo Budista. No segundo dia, deve-se ver as atrações de Puerto Iguazú (Argentina): o Parque Nacional, o Marco Argentino, a feirinha gastronômica, o Duty Free etc. Nas noites, dá para ir a um cassino na Argentina ou no Paraguai, ou jantar num bom restaurante argentino, como o Aqva, o El Quincho del Tío Querido e o La Rueda


Resumo das principais atrações no lado brasileiro:

- Parque Nacional do Iguaçu (onde estão as cataratas)
- Macuco Safari (dentro do Parque Nacional do Iguaçu)
- Passeio de helicóptero sobre as cataratas
- Parque das Aves
- Usina Hidrelétrica de Itaipu
- Marco das Três Fronteiras
- Mesquita Árabe
- Templo Budista
- Foz do Iguaçu Park Show (Museu de Cera, Dreams Ice Bar etc.)



USINA HIDRELÉTRICA DE ITAIPU:

Não conseguiu ser eleita uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno, mas a Usina Hidrelétrica de Itaipu é uma maravilha e isso ninguém pode negar. É a maior geradora de energia limpa e renovável do mundo. Uma construção que chegou a envolver 40.000 trabalhadores. Uma obra que teve em apenas um dia uma quantidade de concreto equivalente a um prédio de dez andares a cada hora ou 24 edifícios no mesmo dia. Uma construção que recebeu um volume de concreto que seria suficiente para construir 210 estádios do tamanho do Maracanã, no Rio de Janeiro. Não é de surpreender qualquer um? Essa robusta usina fica no Rio Paraná, na fronteira entre o Brasil e o Paraguai, portanto é administrada pelos dois países. É uma das atrações mais visitadas em Foz do Iguaçu.

Diferentes visitas podem ser feitas à Usina Hidrelétrica de Itaipu, mas creio que a mais frequente seja a Visita Panorâmica, que foi a que eu fiz. Como o próprio nome sugere, ela se destina à contemplação do panorama da usina. Mas há também o Circuito Especial, que inclui a observação do trabalho na sala de comando central. A iluminação noturna da usina também é motivo de contemplação. O acendimento das luzes (747 refletores e 112 luminárias) é acompanhado de uma trilha sonora, e o espetáculo então começa. Se você se interessou, não deixe de ver essas e outras atividades, com seus respectivos valores, no site oficial de turismo da Usina Hidrelétrica de Itaipu, que é este aqui.


A Usina Hidrelétrica de Itaipu é uma potência e tanto. Fornece energia para o Brasil e o Paraguai.

A Usina Hidrelétrica de Itaipu foi construída entre o Brasil e o Paraguai.





Fizemos a Visita Panorâmica na Usina Hidrelétrica de Itaipu.


E se você gosta de souvenirs, leve uma da Usina de Itaipu! 

PARQUE NACIONAL DO IGUAÇU:


É no Parque Nacional do Iguaçu onde ficam as lindas cataratas do lado brasileiro. É onde está a visão panorâmica mais bonita das cataratas. Por isso, se alguém tivesse somente um dia em Foz do Iguaçu, eu diria, sem sombra de dúvida, para dedicá-lo ao lado brasileiro. Mas é claro que uma visita às Cataratas do Iguaçu só é completa incluindo o parque do outro lado de lá, ou seja, da Argentina (Parque Nacional Iguazú). Mas, vamos lá, pensemos na remota hipótese de se ter somente um dia em Foz do Iguaçu. Então, é no lado brasileiro que deve-se ir se a intenção for querer ficar na memória com aquela mais famosa imagem de cartão-postal das cataratas. Que coisa mais linda é aquela visão que se tem da passarela do final da trilha, com todas aquelas quedas d'água bem de fente para você, e do mirante do lado do elevador! São o clímax do passeio pelo Parque Nacional do Iguaçu. E o arco-íris quase sempre está lá colorindo a paisagem e nossa emoção!

Achar o lado brasileiro mais bonito do que o argentino é uma opinião pessoal. Muitos vão concordar comigo, mas muitos outros vão discordar, inclusive meu marido. Já estive duas vezes nos dois territórios e continuo com a mesma opinião. Até porque a maior parte dos saltos principais está na Argentina (14 ficam na Argentina e 5 no Brasil), de frente para o Brasil. Então, é do lado brasileiro que você consegue vê-los melhor. A visão panorâmica de lá é imbatível. Porém, o parque vizinho tem seus méritos também. Seu mirante mais famoso deixa o visitante bem próximo da impressionante Garganta do Diabo, a queda d'água que marca a divisa entre o Brasil e a Argentina. É surpreendente vê-la despencando com toda aquela força e todo aquele volume. Enfim, o ideal mesmo é que se vá aos dois lados e que se tire as próprias conclusões.   

Além das quedas d'água, você vai encontrar no seu caminho, nos dois parques, alguns bandos de bichos de focinho e cauda bem longos cheirando tudo que veem pela frente, doidos à procura de comida. Eles são os quatis, que sabem ser "fofos" e chatos ao mesmo tempo rsrsrs Na minha primeira viagem à Foz, eu tinha visto mais quatis no parque argentino e não voltei reclamando deles. Pelo contrário, adorei quando os via passando pela minha frente, pois amo animais. Só que na segunda viagem, encontrei-os em número bem maior no lado brasileiro, correndo de um lado para outro e subindo nas pernas das pessoas na área do mirante ao lado do elevador. Até nas mãos de quem não estava comendo, eles iam procurar comida. Quem estava comendo não tinha sossego. E quem se distraía, tinha a comida roubada. Uns chatos rsrsrs É bom lembrar que não se deve dar comida para os quatis, inclusive o parque orienta nesse sentido, pois eles podem ser agressivos. Não os vi mordendo ninguém, mas pode acontecer, né? Eles ficam alucinados com o cheiro de comida. Entram nas lixeiras, reviram tudo, e quando um deles pega comida, vem o restante do bando em cima para roubá-la da boca dele. Até desisti de pegar um picolé numa das lanchonetes que ficam ali porque eles não iriam me deixar em paz. Na verdade, já não estavam muito, mesmo a gente não carregando comida nenhuma. Acho que eles estavam sentindo algum cheiro nas solas de nossos sapatos, só podia ser. Por isso, não aconselho mesmo a ficar alimentando ou passando as mãos nos quatis. Há alguns bem grandes e seus focinhos compridos assustam um pouco.    

Vamos falar dos insetos agora. Não passei protetor solar (não tenho o costume) e não me senti incomodada por eles no lado brasileiro. Na Argentina, é que vieram mais mosquitos em cima, mas nada demais. As borboletas é que constantemente pousam na gente, mas isso não foi um problema para mim, pois gosto delas. O aconselhável é passar repelente. Além dele, não se esqueça do boné, do protetor solar e de uma garrafinha d'água para beber no percurso. E se você não quiser se molhar com a água das cachoeiras que pode respingar em você, compre uma capa de chuva. No lado brasileiro, elas nem sempre molham. Porém, a Garganta do Diabo (na Argentina), independente da época, sempre molha. Mas, sinceramente, molhar-se com a água da cachoeira faz parte da aventura. E basta dar alguns passos para trás, se não quiser se molhar. Eu não usei capa em nenhum momento. Para não gastar dinheiro à toa com uma capa de chuva, procure saber antes se as cataratas do Brasil estão molhando (com seu guia, por exemplo) e saiba que nas lojas de souvenirs dos parques elas são mais caras. Com os rapazes que vendem nos sinais das ruas, as capas têm preços menores.

Não deixe de consultar o site oficial do Parque Nacional do Iguaçu para ter todas as informações sobre a visitação no lado brasileiro: preço dos ingressos, como chegar, trilhas (Trilha do Poço Preto; Trilha das Bananeiras), mapa turístico, atividades além da contemplação (arvorismo e rapel, por exemplo) etc. No site, você também pode comprar os ingressos com antecedência para agilizar sua entrada no parque. Na alta temporada, feriados e finais de semana, as filas são grandes. Quem vai com guia de turismo consegue entrada mais rápido por causa dos guichês exclusivos. O site do parque é este aqui.

Dentro do Parque Nacional do Iguaçu, há um restaurante com uma vista bonita, o Porto Canoas. Eu tinha a intenção de almoçar lá, mas ainda estava cedo, então deixamos para almoçar mais tarde no Dom Cabral Churrascaria, que foi uma sugestão de nosso guia. Gostamos da indicação, pois, apesar de se pagar pelo bufê por pessoa (ou seja, come-se à vontade), o preço estava ótimo. Havia saladas, pratos quentes e churrasco com diferentes tipos de carne.


Quedas d'água fotografadas durante a trilha no Parque Nacional do Iguaçu.




As cataratas são formadas pelas quedas do Rio Iguaçu. São quedas de 40 a 80 metros de altura.



Um dos trechos da trilha do Parque Nacional do Iguaçu e os quatis.




Em 2006, a primeira vez em Foz do Iguaçu. Inesquecível. Com esta paisagem, tinha como ser diferente?

Esta vista com a passarela no final da trilha é uma das mais bonitas do Parque Nacional do Iguaçu. Foto tirada no mês de janeiro.

Foto tirada no mês de abril.  


Tanto em janeiro quanto em abril, vi praticamente o mesmo nível d'água. 



Dependendo da época, a passarela do Parque Nacional do Iguaçu pode ficar bem molhada e dificultar a passagem dos visitantes. Mas, nas duas vezes que estive aqui, em janeiro e abril, a passarela estava perfeitamente apropriada para travessia.


À esquerda, o elevador panorâmico do Parque Nacional do Iguaçu, que leva o visitante para uma visão espetacular "por cima" dessas incríveis cataratas.















É neste mirante que o elevador panorâmico do Parque Nacional do Iguaçu lhe deixa, bem ao lado do Salto Floriano, um dos principais das Cataratas do Iguaçu. 




Vista do mirante mais alto do Parque Nacional do Iguaçu, ao lado do elevador panorâmico.




Em 2018, fui presenteada com este lindo arco-íris. Pausa para muitas fotos.





Veja como a passarela fica cheia. Esta foto foi tirada num domingo de feriadão, em 2018. Eu já esperava por aglomerações. Melhor visitar o parque em dias normais.


Presenteando minha mãe pelo seu aniversário com esta vista. Um presente material não seria tão especial. Eu queria lhe dar algo que ficasse para sempre em sua memória.





O arco-íris no Parque Nacional do Iguaçu deixa a paisagem espetacular.


A cachoeira caindo com toda força. Mirante ao lado do elevador do Parque Nacional do Iguaçu. E eu aqui novamente em 2018.


Tem coisas que uma foto não consegue mostrar. Aqui, por exemplo, eu tentava registrar as dezenas de pequenos pássaros que se lançavam para dentro destas cachoeiras do Parque Nacional do Iguaçu. Um espetáculo que eu não vi na minha primeira vez aqui. Eles voavam para dentro delas sem medo. Pesquisei depois e descobri que eles fazem isso para chegar aos ninhos que ficam por debaixo das cachoeiras. Espetáculos só ao vivo mesmo...





Os quatis sobem nas pernas das pessoas ao primeiro cheiro de comida. Foi o que eu falei acima, eles são fofos mas podem se tornar chatos.


Muitos quatis adultos e filhotes no Parque Nacional do Iguaçu abordando os visitantes, ávidos por comida. Se você estiver distraído, eles tiram a comida da sua mão na maior destreza. O melhor é não estar comendo nada quando eles estão por perto, se você não quiser que eles fiquem com as patas nas suas pernas. Nunca vem um só.


No final do passeio, hora de posar para fotos ao lado da estátua de Santos Dumont, que visitou as esplendorosas cataratas. A placa diz, "Posso dizer-lhe, Frederico Engel, que estas maravilhas em torno das cataratas não podem continuar a pertencer a um particular (Santos Dumont). Foz, 25 de abril de 1916." Essas palavras do aviador abriram as portas para a criação do Parque Nacional do Iguaçu. 


Aproveite o final do passeio para tirar foto com algum quati solitário e para entrar na loja de souvenirs.

MACUCO SAFARI:

O passeio Macuco Safari é feito no Parque Nacional do Iguaçu. Então, depois de fazer a trilha para contemplar as cataratas do parque, você pode literalmente embarcar nessa. A bordo de um barco inflável no Rio Iguaçu, você é levado para debaixo de algumas daquelas quedas d'água, então nem preciso dizer que você sai encharcado. Um banho de cachoeira. Uma benção da natureza. Se você não quiser ficar molhado depois do passeio, leve uma toalha e uma muda de roupa. 

Quando, dentro do barco, você se depara com toda aquela força d'água, é uma emoção e tanto. Lembro que uma das passageiras nesse momento agradecia a Deus em voz alta por aquele momento. O Macuco Safari também é sinônimo de adrenalina. Por alguns momentos, o piloto faz manobras radicais com o barco e a galera toda grita. Mas não se preocupe, o passeio é seguro.

De todos os passeios que fiz em Foz do Iguaçu, o Macuco Safari foi o que eu mais gostei. Em primeiro lugar, gostei mais, é claro, de fazer as trilhas para contemplação das cataratas nos dois parques nacionais. 


No Macuco Safari, primeiro percorremos a Mata Atlântica numa carreta puxada por carro elétrico.





Depois seguimos num jeep até o cais, mas esse percurso pode ser feito também a pé numa trilha pela mata (cerca de 600 metros).


Depois, os aventureiros entraram no barco inflável usando obrigatoriamente coletes salva-vidas.


E fomos levados em direção às Cataratas do Iguaçu. Aqui já dá um frio na barriga.


No Macuco Safari, somos cercados pelas cachoeiras.








E lá vamos nós chegando cada vez mais perto das cachoeiras mais volumosas. O Macuco Safari é um passeio irado! 


O Macuco Safari é um passeio caro, mas valeu a pena!

Outro passeio que você pode fazer dentro do Parque Nacional do Iguaçu é o voo panorâmico de helicóptero sobre as cataratas. Há o voo de 10 minutos, sobre as Cataratas de Foz, e de 30 minutos, sobre as cataratas, a Usina Hidrelétrica de Itaipu e o Marco das Três Fronteiras.


MARCO DAS TRÊS FRONTEIRAS (MARCO BRASILEIRO):

O Marco das Três Fronteiras é o ponto de encontro entre o Brasil, a Argentina e o Paraguai. Nele podemos ver a fronteira entre os três países, cada um com seu obelisco na cor da bandeira da pátria marcando seus limites geográficos. Atualmente o Marco das Três Fronteiras está muito mais interessante de se visitar porque toda a área foi revitalizada em 2015 e 2016, entretanto é preciso pagar ingresso, o que antes não existia. Com a reforma, o local ganhou uma vila cenográfica que homenageia as Missões Jesuíticas, loja de souvenirs, parque infantil e restaurante, o Cabeza de Vaca. E o obelisco brasileiro fica agora cercado por chafarizes que recebem efeitos de luzes e águas. Também há shows culturais em horários determinados.

A melhor hora para estar no Marco das Três Fronteiras é no pôr do sol. Dizem que é o mais belo de Foz do Iguaçu. Deixando esta visitação para o final do dia, você também tem a oportunidade de ver o show de luzes dos chafarizes. Mas a visitação turística pode ser feita a partir das 14:00. Às 23:00, o local fecha. A bilheteria funciona das 14:00 às 22:00 e o restaurante está aberto das 16:00 às 23:00. 

Abaixo mostro como o Marco das Três Fronteiras era antes da reforma, ou seja, sem o complexo turístico. Mas o principal de sempre ainda está lá, é claro: a vista da Tríplice Fronteira Brasil-Argentina-Paraguai. Para ver como o local está agora, muito mais bonito, por sinal, acesse o site oficial da atração, este aqui.


Marco das Três Fronteiras, o ponto de encontro entre Brasil, Argentina e Paraguai. Aqui é o Marco Brasileiro (inaugurado em 1903), com o obelisco nas cores da bandeira do país. Esta foto é antes da reforma. Agora o obelisco tem chafarizes ao redor com efeito de luzes à noite.


Antes da reforma, havia também estes painéis para a gente se divertir rsrsrs



Este é o Mirante do Marco das Três Fronteiras. Daqui vemos os três países divididos pelo rio. Aqui, o Brasil! Atrás de mim, à esquerda, a Argentina. À direita, está o Paraguai.


Close na Argentina. Veja o obelisco ao fundo (à direita) nas cores do país. A cidade é Puerto Iguazú.

Close no Paraguai. Veja o obelisco nas cores do país. A cidade é Ciudad del Este.


TRÊS FRONTEIRAS ARTESANATO & CHOCOLATE CASEIRO:

Praticamente todos os lugares turísticos de Foz do Iguaçu têm uma loja de souvenirs.  As dos parques, por exemplo, são muito boas. Então, não tem que ter desculpa para não levar uma lembrancinha para casa. Mas, se você quiser ter uma grande variedade de opções à sua frente, principalmente de artesanato (porcelana e madeira), e se compras forem a sua perdição, você precisa dar uma passada na loja Três Fronteiras Artesanato & Chocolate Caseiro. O nome não é por acaso. Vendem, sim, muitos chocolates também, para que suas compras sejam uma verdadeira tentação! É uma das maiores lojas de artesanato da América Latina. Oferecem também muitas peças lindas feitas com diferentes tipos de pedras (ametista, onix etc.), algumas até bem caras. Mas há presentes para todos os gostos e bolsos. Se houver tempo em sua agenda, passe lá que você não vai se arrepender.   


 Loja Três Fronteiras Artesanato & Chocolate Caseiro: praticamente todos os tours guiados param aqui.

PARQUE DAS AVES:

O Parque das Aves fica bem perto do Parque Nacional do Iguaçu, então dá perfeitamente para encaixar os dois lugares no mesmo dia. A visitação ao Parque das Aves é muito interessante porque você consegue chegar bem perto das aves, já que estão acostumadas com os humanos. São muitas espécies: araras, flamingos, corujas, guarás, tucanos, gaviões, garças etc. Segundo o parque, são mais de 1400 aves e mais de 150 espécies. 54% das aves foram resgatadas de maus tratos e do tráfico e 35% delas nasceram no parque. É o maior parque de aves da América Latina

O Parque das Aves, que também abriga jacarés e cobras, é um centro de preservação e recuperação das aves localizada em 16 hectares de Mata Atlântica restaurada. Uma de suas principais atrações (a melhor de todas, para mim) é o Viveiro das Araras, pois o visitante pode adentrá-lo e ficar no meio do sobrevoo das araras. No final da visitação ao parque, você ainda pode tirar uma foto segurando uma arara na mão. Para mais informações sobre o parque, consulte o site oficial do local, aqui







Quase dá para pegar os tucanos no colo rsrsrs


Dentro do Viveiro das Araras, no Parque das Aves, em Foz do Iguaçu. Elas voam ao redor de você. 






Parque das Aves, uma das melhores atrações de Foz do Iguaçu.




MESQUITA ÁRABE:

A Mesquita Árabe de Foz do Iguaçu, oficialmente inaugurada em 1983, é uma atração turística muito interessante principalmente para quem nunca visitou uma. Ela costuma fazer parte dos city tours oferecidos pelas agências, então já é de se esperar que seja um dos locais mais visitados em Foz do Iguaçu. O engraçado é que em 2006, quando estivemos lá, só havia a gente naquele dia e naquele horário fazendo a visitação interna. A pessoa responsável abriu as portas só para a gente. Tivemos que deixar nossos sapatos do lado de fora e eu tive que colocar uma saia e um véu fornecido no próprio local. É que mulheres só podem entrar de calças compridas ou saia longa. Como eu estava de bermuda, apesar de abaixo dos joelhos, tive que colocar a saia. O uso do véu é obrigatório para as mulheres, pois devem cobrir os cabelos e os ombros. Homens não podem entrar com bermuda acima dos joelhos. E lá dentro ficamos por uma meia hora observando a arquitetura e querendo entender um pouco mais sobre o islamismo, uma religião que tem forte representatividade em Foz do Iguaçu, já que a cidade abriga a maior comunidade islâmica do Brasil.

Aproveite sua ida à Mesquita Árabe para provar doces árabes. Tudo a ver, não é mesmo? Em frente ao templo, a Albayan Doceria Árabe faz sucesso. Seus doces são muito apreciados. Dê uma olhada nas fotos no Facebook deles. Fiquei vidrada nos doces de caju e pistache. Pena que eu não tive tempo de ir até a loja e experimentá-los na minha segunda viagem a Foz. Mas fiquei com água na boca.

A entrada à mesquita é grátis. 


Mesquita Árabe de Foz do Iguaçu. 




Dentro da sala oval da Mesquita Árabe. É preciso seguir as normas do templo. Mulheres entram com véu e não podem ficar com as pernas de fora. 


Olha eu lá em cima. Como disse meu marido, pareço um fantasminha rsrsrs


FOZ DO IGUAÇU PARK SHOW:

O Foz do Iguaçu Park Show é um complexo turístico com cinco atrações: Museu de Cera, Maravilhas do Mundo, Vale dos Dinossauros, Super Carros e Dreams Ice Bar. Só fui aos dois primeiros, pois minha prioridade era o Museu de Cera, e o Maravilhas do Mundo fazia parte do ingresso. Eles estão no mesmo prédio. O Vale dos Dinossauros, creio que seja mais interessante para crianças, e o Super Carros mais para quem é apaixonado pelos possantes automotivos. Fiquei com pena é de não ter entrado no Dreams Ice Bar, já que é o maior bar de gelo do mundo (até o momento) e proporciona uma experiência incomum. Mas infelizmente o bar estava muito cheio; ficou para a próxima. Com tempo, eu teria passado por todas as atrações do Park Show, que ficam numa mesma área.  

Vale dos Dinossauros:

No Vale dos Dinossauros, você encontra réplicas de dinossauros de diferentes tipos que emitem sons. Atração para agradar em cheio as crianças.

 Entrada do Vale dos Dinossauros, que fica bem ao lado do Museu de Cera.

Dreams Ice Bar:

O Dreams Ice Bar é o maior bar de gelo do mundo, com temperatura a -11ºC, podendo chegar a -18ºC. O bar, que inaugurou em dezembro de 2017, tem uma máquina de gelo que produz suas próprias esculturas, o que quer dizer que o cenário pode mudar constantemente. Lá dentro tudo é esculpido em gelo: balcão, mesas, cadeiras, copos etc. Para aguentar o frio, os visitantes recebem roupas especiais. Antigamente, os turistas em Foz do Iguaçu tinham que atravessar a fronteira para conhecerem um bar de gelo, na Argentina. Então muito boa a iniciativa dos empresários de pôr para funcionar uma atração desse tipo em território brasileiro, não somente para economizar o tempo de deslocamento dos visitantes, como também para aumentar os atrativos da cidade. Foz do Iguaçu merece! E parece que mais novidades vêm por aí! 

Não se esqueça de que há também o Ice Bar Brasil, outro bar de gelo que abriu antes do Dreams Ice Bar. Só que esse fica no Shopping Catuai Palladium.


O Dreams Ice Bar fica ao lado do Museu de Cera.

Super Carros:

Os Super Carros do Park Show ficam em frente ao Museu de Cera. Para quem quiser pagar pela experiência de dirigir um desses, é só procurar pela equipe que fica em frente ao museu. 

Os Super Carros, uma das atrações do Foz do Iguaçu Park Show.

Museu de Cera:

O Museu de Cera de Foz do Iguaçu me surpreendeu pela variedade de estátuas que abriga. São vários cenários com celebridades mundiais e personagens de filmes. Lá você estará cara a cara, por exemplo, com Peter Pen, Darth Vader, Fiona e até com o Jason... Desse aí eu não gostei de me encontrar não rsrs   

Você pode fotografar à vontade dentro do museu, mas há algumas áreas em que não é permitido, pois são de uso exclusivo dos fotógrafos. Então, para sair na foto nesses cenários, só pagando.

Pátio em frente ao museu de cera, onde, de repente, você pode encontrar um dinossauro perdido caminhando entre os visitantes rsrsrs

Dreamland Museu de Cera - Foz do Iguaçu.























Maravilhas do Mundo:

O Maravilhas do Mundo, que fica instalado no mesmo prédio do Museu de Cera, expõe miniaturas de vários dos principais monumentos construídos pelo homem. Uma viagem pelo mundo em algumas salas.

Maravilhas do Mundo. A atração faz parte do Foz do Iguaçu Park Show.







TEMPLO BUDISTA:


O Templo Budista foi um dos lugares que mais gostei em Foz do Iguaçu. Em 2006, não tínhamos conseguido visitá-lo, pois fomos desencorajados pelo nosso guia/motorista. É que o lugar estava muito perigoso, pessoas estavam assaltando à mão armada. Mas em 2018, tudo estava diferente. Meu guia me falou que estava super tranquilo, então eu não quis perder a oportunidade. Eu sabia que iria gostar, mas ainda superou as minhas expectativas. O interior do templo é muito interessante, repleto de estátuas de Budas, e não pode ser fotografado. Mas o jardim que o cerca, você pode fotografar à vontade, e é lindo. Ficam espalhadas por lá várias estátuas grandes de Budas. Se depois de ver todas elas, você entrar na loja de artesanato do local, vai ficar difícil não querer levar um Buda para casa.  

A entrada é gratuita!

Esta estátua de Buda sentado é uma das mais bonitas do jardim. 

Jardim do Templo Budista - Foz do Iguaçu.




O pátio em frente ao Templo Budista tem duas fileiras de estátuas. 





Estátua do Buda Shakyamuni, a mais bonita do espaço, na minha opinião. Atrás, o templo  que foi construído por comunidades chinesas da Tríplice Fronteira. Seu interior, que é cheio de estátuas de Budas também, não pode ser fotografado.


"Uma viagem de mil milhas se inicia com um único passo" e "Ninguém consegue realizar os próprios sonhos sem a ajuda do resto do mundo" são alguns dos ensinamentos que lemos no Templo Budista.




Em homenagem a Manjusri Bodhisativa, que representa a Grande Sabedoria.








Os hotéis onde me hospedei em Foz do Iguaçu:

Na primeira viagem, fiquei no Rafain Centro. É um bom hotel com preços atraentes. Gostei muito. Tem piscina, restaurante, bar, e um café da manhã muito bom. Recomendo. Já na segunda viagem, fiquei no Ibis Foz do Iguaçu. O Ibis é aquele padrão de sempre e eu gostei muito da aparência desse hotel em Foz. Tudo com aspecto de novo. Optei por esse hotel porque eu queria uma acomodação econômica e bem localizada. A passos do hotel estão vários restaurantes e bares que são points da cidade. Então, o fato de o hotel não ter um restaurante não fez falta. O café da manhã é pago por fora e achei um pouco fraco. Há até uma certa variedade, mas não achei as opções saborosas. Esse foi o único ponto negativo desse hotel, na minha opinião. Mas, pelo custo-benefício, eu me hospedaria lá novamente com toda a certeza. Ah, achei a ducha do banheiro excelente e os funcionários foram todos muito atenciosos. Se você quiser mais conforto e estiver disposto a pagar mais, o Belmond Hotel das Cataratas, que fica dentro do Parque Nacional do Iguaçu, tem tudo para lhe fazer feliz.


Hotel Rafain Centro - Foz do Iguaçu.


Rafain Centro - Foz do Iguaçu

Rafain Centro - Foz do Iguaçu.


Quarto do Ibis Foz do Iguaçu.

Espaço do café da manhã no Ibis Foz do Iguaçu.

Hall de entrada do Ibis Foz do Iguaçu.

Veja também a seguinte postagem:

Nenhum comentário: